website : www.acaibrazlianmarket.com_ our store SAN DIEGO,Ca

Everything you want from Brazil you can find in our store. Come and visit us today!
Address: 1570, Garnet Av, Pacific Beach - San Diego, CA - 92109. Phone number: 858-270-1822.

Tuesday, October 27, 2009

STROGONOFE DE CARNE

STROGONOFE DE CARNE

- 250g de filé mignon em tiras
- 1 cebola cortada em pedaços pequenos
- 1 colher de molho inglês
- 1 colher de mostarda dijon
- 1 pitada de páprica doce
- 1 colher de azeite
- flor de sal
- pimenta do reino
- creme de leite fresco
- 3 colheres de conhaque
- 1 pote de champignon cortados em 4 pedaços

PREPARO

1. Em uma frigideira, levar dourar bem o filé com a cebola, o azeite e flor de sal
2. Acrescente o conhaque e deixe flambar
3. Coloque a mostarda dijon, o molho inglês, os champignons, a páprica, a pimenta do reino e o creme de leite fresco e deixe ferver
4. Sirva com arroz branco e chips de mandioquinha

Friday, October 23, 2009

RECICLANDO OLEOS DAS PADARIAS

Reciclagem
Coleta de óleo usado em padarias pode chegar a 185 mil l/mês com ampliação de programa
Escrito por Fernanda Dalla Costa — Publicado em 2009-07-30 07:51
O Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan) ampliou um programa de coleta de óleo de cozinha usado entre os associados e o estendeu para os clientes das padarias, que, até o final do ano, poderá destinar cerca de 200 mil litros de óleo por mês para a reciclagem, apurou a Revista Sustentabilidade.


> Reciclagem de óleo de cozinha
> Catadores em SP instalam usina de biodiesel para reciclar óleo d
O Sindipan dever fazer uma campanha de adesão entre seus associados e espera sensibilizar 2000 panificadoras das 4800 existentes na cidade, até o final de 2009. Segundo informações dos participantes do programa, a média atual de coleta gira em torno de 50 a 90 litros, portanto, ao atingir o número de adesões desejadas e, considerando as doações dos clientes, a coleta poderá chegar a mais de 185 mil litros por mês.

"A nossa proposta é incutir a responsabilidade socioambiental nas donas de casa, pais de família e todos que frequentam o local", afirmou o presidente do Sindipan, Antero Pereira. "O que fizemos foi estender essa oportunidade aos cidadãos, que passam a aproveitar a estrutura já instalada".

Nos pontos de coleta, serão instalados galões para receber o óleo, que poderá ser transportado em garrafas usadas (PET) de refrigerantes ou em potes de plástico de um litro, vendido nas próprias padarias a R$ 1,50.

Estas mesmas padarias, desde 2007, já implementaram um programa de redução de uso de sacos plásticos descartáveis, oferecendo sacolas reutilizáveis aos seus clientes. O Sindipan já tem cadastradas 67 padarias, número que atinge 150, se for levado em conta outras que já se comprometeram com o projeto.

A iniciativa foi lançada em julho. O óleo é coletado pela a ONG Trevo ou a empresa Bioauto, que usam o material para a produção de produtos de limpeza e biocombustível, respectivamente.

A Bioauto não cobra para retirar o óleo coletado das padarias e também não as remunera pela coleta.

"Não cobramos pela coleta e nem pagamos, pois estamos livrando as padarias de um grande problema", disse Walter Bottura, diretor da empresa, que lembra ainda que há uma Lei Municipal em São Paulo, proibindo que o óleo usado seja jogado na pia.

A Bioauto já atua na coleta do óleo usado em 15 padarias, onde recolhe cerca de 1350 litros de óleo usado por mês, vindos somente dessa fonte. Agora, além do óleo usado pela padaria, será coletado o óleo depositado pelos clientes em um tambor localizado em lugar acessível, explicou Bottura.

Depois do lançamento do programa, mais duas padarias entraram em contato com a empresa para realizar a doação de óleo.

"Ainda é muito cedo para esperarmos a adesão de muitas padarias", avaliou Bottura, complementado que também não pode estimar quanto óleo a mais vai ser coletado dos clientes.

A ONG Trevo já realiza a coleta de cerca de 50 litros de óleo usado por mês, de cada um dos 200 estabelecimentos que atende. Isto dá um volume mensal de 10.000 litros destinados para a produção de materiais de limpeza e biocombustível por mês.

Com a campanha da Sindipan, 20 padarias já os procuraram para aderir ao programa, informou Marcos Paulo Janaudis, secretário da Trevo.

"Pelo fato de o programa ser novo, a procura para a adesão das padarias ainda está bem devagar", disse.

Segundo a Bioauto, 1 quilo de óleo (quilo pois um litro do óleo pesa 900 gramas) é suficiente para produzir um litro de biocombustível.

"A diferença é compensada pela adição de metanol e outros produtos químicos usados na produção do biocombustível", informou Bottura.

Wednesday, October 21, 2009

RESRAURANTE PARA COMER MELHOR ROBALO

Restaurante Al Mare promove festival do Robalo divulgação Al Mare promove festival do Robalo

Do Metro
entretenimento@eband.com.br
O restaurante Al Mare, especializado em peixes e frutos do mar, promove o "Primeiro Festival de Robalo". Durante o mês de outubro, a casa oferece um cardápio especial com receitas criadas pelo chef Carlos Soares com o peixe que é um dos mais pedidos no restaurante.

Como entrada, a sugestão é o Carpaccio de Robalo, que, servido com salada de folhas ao molho de alcaparras, sai por R$ 22,80.

Como prato principal, o destaque é o Robalo de Gênova. Grelhado, em crosta de pão fresco com tomate ao perfume de manjericão, molho branco e arroz, o prato custa R$ 96,40.

Serviço

Al Mare
Onde: Av. Pavão, 109, Moema - São Paulo/SP
Quando: Até dia 25/10
Tel.: (11) 5041-7179

DICAS PARA SAO PAULO

Confira os vencedores da premiação Veja São Paulo Comer & Beber 2009Foto: Divulgação O ator Paulinho Vilhena foi um dos famosos que prestigiou o evento Comer & Beber 2009

Da Redação
entretenimento@eband.com.br
Aconteceu na noite desta quinta-feira, dia 17, a premiação Veja São Paulo Comer & Beber 2009. No evento foram eleitos os melhores da gastronomia paulistana nas categorias Restaurantes, Bares e Comidinhas.

Em grande estilo, a festa foi comandada pela atriz Claudia Raia e personalidades como Luciana Gimenez, Marcelo Médici, Paulinho Vilhena, Gianne Albertoni, Luciana Vendramini e Simoninha entregaram alguns dos 46 prêmios (12 de Comidinhas, 11 de Bares e 21 Restaurantes).

A escolha dos vencedores foi realizada por um corpo de 30 jurados formado por especialistas em gastronomia e pelo trio de críticos da revista Veja São Paulo: Arnaldo Lorençato (Restaurantes), Fabio Wright (Bares) e Helena Galante (Comidinhas).


Confira os vencedores:

Restaurantes
Alta Gastronomia: Fasano
Árabe: Arábia
Brasileiro: Tordesilhas
Carne: Varanda
Carne/Rodízio: Fogo de Chão
Cozinha Contemporânea: Maní
Cozinha Rápida: Ráscal
Francês: Ici Bistrô
Italiano: Due Cuochi Cucina
Italiano/Cantina: Pasquele
Japonês: Aizomê
Natural: Moinho de Pedra
Peixes e Frutos do Mar: Amadeus
Pizzaria: Braz
Português: A Bela Cintra
Variado: Arturito
Bom e Barato: Saj
Chef Revelação: André Mifano (Vito)
Chef do Ano: Helena Rizzo (Maní)
Melhor Restauranteur: Paulo Barroso de Barros (Due Cuochi Cucina)
Melhor Carta de Vinhos: Grupo Rubaiyat
Melhor Área ao Ar Livre: Skye
Personalidade Gastronômica: Sr. Thrassyvoulos Georgios Petrakis (Acrópoles)

Bares
Boteco: São Cristóvão
Carta de Cervejas: Melograno
Chope: Original
Cozinha: Adega Santiago
Feijoada: Veloso
Happy Hour: São Pedro São Paulo
Música ao Vivo: Ó do Borogodó
Para ir a dois: Baretto
Para paquerar: Sonique
Bar Revelação: SubAstor
Melhor Barman do Ano: Pereira (Astor e SubAstor)

Comidinhas
Cachorro-Quente: Lanchonete da Cidade
Café Expresso: Boutique Bar Nespresso
Chocolate: Chocolat du Jour
Doceria: Dulca
Hambúrger: P.J. Clarke´s
Linha Diet: Day by Diet
Padaria: Benjamin Abrahão – Mundo dos Pães
Pastel: Yokoyama
Salgado: Casa Búlgara
Sanduíche: Forneria San Paolo
Sorvete: Vipineto Gelato & Caffè
Suco: Bolado Sucos

FROM PARIS

Feira em Paris mostra vestidos de chocolate feitos para usar e comerFoto: Divulgação Desfile com roupas comestíveis é a atração mais esperada da feira

Da Redação
entretenimento@eband.com.br
Começou em Paris a 15ª Feira de Chocolate, o maior evento mundial dedicado ao cacau. Idealizado e desenvolvido por Sylvie Douce e François Jeantet, um casal de empreendedores apaixonados, o salão ultrapassou as fronteiras nesses últimos anos e há algum tempo é exportado para os Estados Unidos, Japão, Rússia e China.

Esta edição presta homenagem a dois países: a Suíça, verdadeiro berço do chocolate, e a Itália, país símbolo da l’art de vivre e da gastronomia.

A feira atrai chocólatras e curiosos do mundo inteiro que querem aprender receitas com chefs renomados, assistir ao famoso concurso Charles Proust, além de poder comprar - ou desgustar - os melhores chocolates do mundo.

Uma das principais atrações é o desfile de vestidos comestíveis - feitos por consagrados nomes da indústria da alta costura – onde cantoras, apresentadoras e modelos mostram as ‘peças’ num verdadeiro show de estilo e criatividade.


Curiosidades:

Apelidado em alguns países produtores de “L’Or Noir’, o cacau é uma matéria prima cuja produção não pára de aumentar.

Entre os consumidores de chocolate, 81% o degustam diversas vezes por semana e 44% se deleitam com a guloseima pelo menos uma vez por dia.

No quesito gosto, 58% preferem o chocolate amargo, 39% o chocolate ao leite e 3% são mais chegados no chocolate branco.

A feira apresentará uma nova tendência: a chocoterapia, seleção de cuidados e cremes para o corpo feitos a base de chocolate.

O choco-aperitivo: recheado com foie gras, com molho americano de lagosta, o chocolate se transforma em salgado.

O choco-luxo: caixas de presentes luxuosas onde os chocolates viram pedras preciosas comestíveis ou folhas de ouro e prata também comestíveis.

A choco-déco: demostração de uma casa que pode ser devorada por inteiro.

CUSCUZ DE SARDINHA OU TUNA

Maria Inês de Castro (culinarista)
4 colheres (sopa) de azeite

1 colher (chá) de alho picado

1 cebola média picada

1/2 pimentão verde picado

1 latinha de molho de tomate

1 folha de louro

1/2 abobrinha ralada

1 xícara (chá) de ervilha congelada

1 xícara (chá) de palmito picado

1/2 xícara (chá) de azeitonas picadas

2 xícaras (chá) de água

sal e pimenta-do-reino a gosto

1 lata de sardinha

1 tablete de caldo de legumes

3 xícaras (chá) de farinha de milho amarela

3 ovos cozidos

2 colheres (sopa) de cebolinha picada

1 tomate em rodelas para enfeitar

Modo de preparo:
Numa panela grande coloque o azeite, o alho, a cebola e frite até ficarem transparentes. Em seguida acrescente o pimentão, o molho de tomate, o tablete de legumes, a abobrinha, as ervilhas, o palmito, as azeitonas, a água, a pimenta e ajuste o sal. Acrescente a sardinha e deixe cozinhar por 10 minutos. Em seguida junte a farinha de milho. Se necessário, aumente a farinha para obter uma massa fofa. Por último, acrescente 2 ovos picados (reserve 1 ovo para decorar) e a cebolinha picada. Unte uma forma tipo anel com óleo, salpique cebolinha, arrume no fundo as rodelas de tomates e rodelas de ovo. Coloque a massa do cuscuz, aperte com uma colher e deixe descansar por 5 minutos. Desenforme em um prato grande redondo.

FRANGO COM MARACUJA E VINHO BRANCO

INGREDIENTES:

1 peito de frango
3 maracujás
1 colher (sopa) manteiga
200ml vinho branco seco
2 cebolas
200ml creme de leite
1 cubo caldo de galinha
2 pimentas dedo-de-moça
1 colher (sopa) açafrão

MODO DE PREPARO:

Cortar os maracujás no sentido longitudinal e separar as polpas, reservar. Em uma panela refogar a manteiga, a cebola e os cubos de frango, deixar no fogo até secar e começar a corar. Acrescentar a polpa de maracujá e deixar fritar bem. Em seguida o vinho branco, o caldo de galinha e a pimenta picadinha, deixar no fogo até evaporar. Acrescentar o creme de leite com o açafrão e retirar do fogo. Colocar o frango dentro dos maracujás salpicar com queijo parmesão e levar ao forno para gratinar. Servir bem com arroz branco ou macarrão "cabelo de anjo" na manteiga.

Friday, October 16, 2009

FOUNDUE ASSADO

2 xícaras (chá) de chocolate meio amargo ralado

- 4 xícaras (chá) de leite

- 1/2 xícara (chá) de açúcar

- 8 gemas peneiradas

- 1 colher (chá) de essência de baunilha

- 1 cálice de conhaque

- 200 g de mix de frutas secas (castanha de caju, castanha
do Pará , damasco, ameixa)


Modo de Preparo1 - Numa panela coloque 2 xícaras (chá) de chocolate meio amargo
ralado, 4 xícaras ( chá) de leite, a xícara (chá) de açúcar, leve
ao fogo médio mexendo sempre até derreter o chocolate e ferver
por apenas 1 minuto. Desligue o fogo.


2 - Incorpore 8 gemas peneiradas EM FIO, mexendo com um batedor
de arame. Depois junte 1 colher (chá) de essência de baunilha e 1
cálice de conhaque e mexa vigorosamente até ficar homogêneo.


3 - Distribua 200 g de mix de frutas secas (castanha de caju,
castanha do Pará, damasco, ameixa) em 10 canequinhas de porcelana
(que possa ir ao forno) e complete a canequinha com o creme de
chocolate (feito acima). Leve ao forno pré-aquecido a 160 graus
por 30 minutos. Sirva quente acompanhado de sorvete de sua
preferência.

CHOCOLATE CUP (MAMAE )2009

12 balões de gás (bexiga) nº0
- 200 g de chocolate meio amargo fracionado derretido

- 1 xícara (chá) de açúcar
- 1 xícara (chá) de claras (de 4 a 5 claras)
- raspas de 1 limão
- 200 g de chocolate branco derretido

Modo de Preparo1- Encha 12 balões de gás (bexiga) nº0 até ficarem com 6 a 7 cm
de diâmetro. Mergulhe cada balão em 200 g de chocolate meio
amargo fracionado derretido até a metade de cada balão (OBS: este
chocolate deve estar morno. Não pode estar quente). Retire do
chocolate e coloque numa fôrma forrada com papel manteiga. Deixe
esfriar.

2- Numa panela fora do fogo misture muito bem 1 xícara (chá) de
açúcar com 1 xícara (chá) de claras (de 4 a 5 claras). Leve ao
fogo baixo mexendo sempre por +/- 2 minutos para o açúcar
derreter (ou até que enfiando um dedo o calor não seja
suportado).

3- Transfira esta mistura para uma batedeira, acrescente raspas
de 1 limão e bata por +/- 8 minutos até obter um merengue bem
firme. Desligue a batedeira e misture delicadamente 200 g de
chocolate branco derretido.

4- Estoure os balões com auxilio de um palito de dentes (retire
as sobras de látex dos balões que ficarem grudados no chocolate)
e preencha as casquinhas de chocolate com o creme da batedeira.
Leve para gelar por apenas 1 hora. Sirva decorando com raspas de
limão e folhas de hortelã.

MASSA PODRE NUMERO 2

500 g de farinha de trigo
200 g de margarina
150 g de gordura vegetal
2 gemas
1 x.café de água gelada
1 c.chá de sal

Modo de PreparoSepare 500g de farinha de trigo, peneire e despeje numa bacia.
Adicione 200g de margarina culinária e 150g de gordura vegetal;
misture com as mão, até ficar parecendo uma farofa.
Acrescente 2 gemas, 1 xícara de café de água gelada com 1 colher
de chá de sal e misture tudo, sem trabalhar muito a massa. Ela
deve ficar homogênea, mas quebradiça. Forme uma bola e deixe
descansar por meia hora na geladeira.
Enquanto isso, separe uma forma rasa e reserve.
Coloque a massa na forma, vá abrindo com as mãos e forre toda a
forma, procurando manter a mesma espessura em toda superfície.
Fure com um garfo toda a base da torta, para que não estufe
quando assar.
Asse em temperatura média durante uns 20 minutos ou até dourar.

MASSA PODRE NUMERO 1

Ingredientes1 kg de farinha de trigo

4 gemas
2 ovos inteiros
250 gr. margarina
250 gr. banha suína

sal a gostoModo de PreparoMistura todos os ingredientes. Amasse bem e deixe descansar na
geladeira mais ou menos 1 hora.

MASSA PODRE DE GUARANA (TORTAS OU EMPADINHA)

Ingredientes e Preparo:



1 kg de farinha de trigo --

1 copo (americano) de guaraná;

1 colher (sopa) de sal;

250 gramas de manteiga vegetal.


Modo de Preparo1 Mistura-se bem e amassar durante uns 10 minutos.



2 Deixe a massa descansando 20 minutos

3 Abra a massa e leve-a em forminhas com recheio a gosto e
vontade.

4 Pincele por cima com gema crua.

5 Leve ao forno quente para assar.

6 Até a gema crua ficar dourada

Friday, October 2, 2009

Lemon Jam

1 1/4 cups sugar
4 large eggs
1 tbsp corn syrup
3/4 cup fresh lemon juice
1 stick unsalted butter, in chunks

1 step
wisk the sugar and eggs in a heavy saucepan,
and wisk the reamaining ingredients al together.

2 step
Over a medium - low heat
stir constantly until the jam thickens and a bubble
at the surface 8 a 10 minutes
Dont let it bowil .

3 STEP
Get it into a jar and seal very well
up to 3 weeks

Wednesday, September 23, 2009

BRAZILIAN COFFEE


ACAI BRAZILIAN MARKET
1570 GARNET SAN DIEGO CA,92109

BRAZILIAN DAY SAN DIEGO 2009

http://www.youtube.com/watch?v=t_H0BlOlna0

BRAZILIAN DAY SAN DIEGO 2009

http://www.youtube.com/watch?v=t_H0BlOlna0

BRAZILIAN DAY NY 2009

http://www.youtube.com/watch?v=ZztexQG-GBg

QUEM QUER COMPRAR CASA ?

Crédito no Imposto de renda dos $8,000.00 oferecido pelo

Presidente Obama termina dia 1 de Dezembro de 2009!



O crédito no imposto de renda é para as pessoas comprando casas pela primeira vez. Para participar do programa de crédito no imposto, o IRS define que a primeira compra de uma casa seja para aqueles que nao possuem uma residencia principal pelo menos por 3 anos e principalmente aqueles que estao adquirindo a casa pela primeira vez. O crédito no imposto não tem que ser pago de volta.

O crédito no imposto é igual a 10% do preço da compra da casa até num máximo de $8.000.

O crédito está disponível para casas compradas dia 1 de janeiro, 2009 e ate 1 de Dezembro, 2009. Para os propósitos do crédito no imposto, a data da compra é a data quando se transfere o titulo da propriedade ao proprietário da casa.

Se qualificam para este credito contribuintes individuais com rendas até $75.000 e casados com rendas até $150.000.



Este incentivo e um dos fatores determinantes para muitas pessoas que estao comprando casas hoje. Pelas estatisticas de San Diego, 65% dos compradores deste ano, sao compradores de primeira viagem.

Nao deixe passar esta oportunidade.

Ligue hoje mesmo para saber mais detalhes sobre o credito e conferir o que esta disponivel atualmente neste
mercado imobiliario extremamente disputado.
Gabriela Dedolph – 858 405 8144.

info@homesniffer.com




--

BRASILEIROS COMPRANDO CASA.

Crédito no Imposto de renda dos $8,000.00 oferecido pelo

Presidente Obama termina dia 1 de Dezembro de 2009!



O crédito no imposto de renda é para as pessoas comprando casas pela primeira vez. Para participar do programa de crédito no imposto, o IRS define que a primeira compra de uma casa seja para aqueles que nao possuem uma residencia principal pelo menos por 3 anos e principalmente aqueles que estao adquirindo a casa pela primeira vez. O crédito no imposto não tem que ser pago de volta.

O crédito no imposto é igual a 10% do preço da compra da casa até num máximo de $8.000.

O crédito está disponível para casas compradas dia 1 de janeiro, 2009 e ate 1 de Dezembro, 2009. Para os propósitos do crédito no imposto, a data da compra é a data quando se transfere o titulo da propriedade ao proprietário da casa.

Se qualificam para este credito contribuintes individuais com rendas até $75.000 e casados com rendas até $150.000.



Este incentivo e um dos fatores determinantes para muitas pessoas que estao comprando casas hoje. Pelas estatisticas de San Diego, 65% dos compradores deste ano, sao compradores de primeira viagem.

Nao deixe passar esta oportunidade.

Ligue hoje mesmo para saber mais detalhes sobre o credito e conferir o que esta disponivel atualmente neste
mercado imobiliario extremamente disputado.
Gabriela Dedolph – 858 405 8144.

info@homesniffer.com




--

Monday, August 10, 2009

CONSULADO BRASILEIRO EM SAN DIEGO 15 E 16 AGOSTO

XVIII Consulado Itinerante em San Diego, Califórnia
Dias 15 e 16 de agosto, sábado e domingo
Dia 15 das 9:00hs às 16:00hs.
Dia 16 das 10:00hs às 15:00hs.
Local: San Diego University for Integrative Studies
3900 Harney Street, Suite 201
San Diego, CA 92110

Wednesday, July 22, 2009

CARTA DA TERRA

home notícias
Notícias Todas
Ações Institucionais
Comunidades
Institucional Projeto Arara Azul
Projeto Mata Atlântica
27/04/2009 | Institucional
A Carta da Terra lança sua primeira campanha de mobilização no Brasil
Em 22 de Abril, Dia Mundial da Terra, a iniciativa A Carta da Terra, extensão brasileira do movimento The Earth Charter, lançou sua primeira campanha de comunicação no Brasil. O objetivo é motivar as pessoas a conhecer a declaração de princípios éticos A Carta da Terra, compreender seus conceitos e aplicá-los como uma orientação para suas atividades diárias.

A campanha está ancorada num filme de 60 segundos que será veiculado pelas principais emissoras de televisão por assinatura do país, com apoio diferenciado da MTV, emissora de TV aberta. O comercial é uma animação produzida voluntariamente a partir de desenhos feitos por crianças da Casa do Zezinho, entidade social que visa promover a cultura e educação entre crianças carentes da comunidade do Capão Redondo, em São Paulo (SP).

A campanha aborda o momento atual da crise financeira como uma importante oportunidade para reavaliarmos nossos valores e assumirmos um compromisso ético que prime pelo bem comum e pela responsabilidade universal, assegurando a generosidade e a beleza da Terra para as atuais e futuras gerações. Os princípios éticos da declaração A Carta da Terra ajudam a nortear os diferentes níveis da sociedade para as águas calmas do respeito, integridade ecológica, justiça social e econômica, democracia, não-violência e paz.

Sobre A Carta da Terra

A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica. Ela foi estruturada em quatro grandes tópicos:
1. Respeito e cuidado pela comunidade da vida
2. Integridade Ecológica
3. Justiça Social e Econômica
4. Democracia, não-violencia e paz.

O documento busca inspirar as pessoas e os diferentes setores da sociedade para um novo sentido de interdependência global e responsabilidade compartilhada, voltado para o bem-estar de toda a família humana, da grande comunidade da vida e das futuras gerações. É uma visão de esperança, mas também um chamado à ação.

Sua história começa em 1987, quando a Comissão das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento, por meio do documento Nosso Futuro Comum, recomendou a redação de uma nova carta sobre o desenvolvimento sustentável com o objetivo de ajudar a construir no século 21 uma sociedade global justa, sustentável e pacífica.

Em 1992, num evento paralelo à Eco-92, realizada no Rio de Janeiro, foi elaborada a primeira versão de A Carta da Terra. Houve então um processo participativo em todos os continentes, que durou oito anos e contou com a contribuição de milhares de pessoas de todas as raças, credos, idades e profissões, incluindo especialistas em ciências, filosofia, ética, religiões e leis internacionais.

Em 29 de junho de 2000, no Palácio da Paz, em Haia, na Holanda, a versão definitiva foi finalmente lançada e imediatamente assumida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

O Brasil esteve presente nesse movimento desde seu nascimento. Participou da elaboração do texto e de suas revisões e atualmente conta com representantes no Conselho da Iniciativa da Carta da Terra.

Links Relacionados
Outras Notícias05/06/2009
Dia do Meio Ambiente
Toyota do Brasil desenvolve anúncio comemorativo no Dia do Meio Ambiente.

06/04/2009
Toyota leva a Reatech 2009 o conceito “A Vida Sem Limites”
Montadora também irá expor na feira voltada a pessoas portadoras de deficiência os modelos Corolla, RAV4 e SW4.

01/04/2009
Toyota lança a Fundação Toyota do Brasil
Fundação se torna o braço social da empresa no País

--------------------------------------------------------------------------------
ToyotaQuem somos Projetos Ações Institucionais Arara Azul Comunidades Parceiros Notícias Fale Conosco Quero ser parceiro Mapa Fale Conosco
--------------------------------------------------------------------------------
© Copyright 2009, Fundação Toyota do Brasil. Todos os direito reservados. Gad'Brivia

DIA NACIONAL DA MATA ATLANTICA 27 MAIO

home notícias
Notícias Todas
Ações Institucionais
Comunidades
Institucional
Projeto Arara Azul
Projeto Mata Atlântica 20/05/2009 | Projeto Mata Atlântica
5ª edição do Viva a mata

Entre os dias 22 e 24 de maio, das 9h às 18h, a Fundação SOS Mata Atlântica realiza a quinta edição do Viva a Mata - mostra de iniciativas e projetos em prol da Mata Atlântica, aberto ao público no Parque Ibirapuera, em São Paulo. O evento, que tem patrocínio do banco Bradesco e apoio da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), conta com uma ampla programação gratuita: palestras, debates, exposições, oficinas, peças de teatro, entre outras manifestações artísticas.

Os principais objetivos do Viva a Mata são comemorar o Dia Nacional da Mata Atlântica (27 de maio), promover a troca de informações e experiências entre os que lutam pela conservação deste Bioma, realimentar o movimento ambientalista, e informar e conscientizar a sociedade. Cerca de 75 mil pessoas estiveram presentes na última edição.

Confira a programação do evento:

Auditório Oca

Sexta-feira

11h às 12h – Palestra – 30 anos de Atol das Rocas

12h às 13h – Palestra – Estação Ecológica de Guanabara / APA de Guapi-Mirim

13h às 14h – Palestra – Indicadores de qualidade da água, Projeto Tietê – marco zero

14h às 15h – Apresentação dos dados do Atlas da Mata Atlântica

15h às 16h30 – Palestra – Neutralização de Carbono

16h30 às 18h – Palestra – Mata Atlântica & Pesca

Sábado

9h às 10h – Observação de Aves no Ibirapuera – Avistar no Viva a Mata

(inscrição prévia pelo site www.avistarbrasil.com.br)

10h às 11h30 – Painel – Resultados do Programa de Incentivo às RPPNs

11h30 às 13h – Mesa redonda Educação para a conservação

13h às 14h30 – Mesa redonda Reservas Extrativistas Marinhas na costa da Mata Atlântica

14h30 às 15h30 – Palestra – Iniciativas pela Restauração da Mata Atlântica

15h30 às 16h30 – Reserva Legal na Mata Atlântica – Frente Parlamentar Ambientalista

16h30 às 17h30 – Plataforma Ambiental nos governos locais – Frente dos Vereadores

18h – Mobilização – Mata Atlântica na cidade – o problema é com você!

Domingo

9h às 11h – Roda de conversa do Mata Atlântica vai à Escola

11h às 12h – Palestra –Projetos da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente

12h às 13h30 – Mesa redonda – Gestão participativa em unidades de conservação

13h30 às 14h30 – Palestra – 25 anos da Área de Proteção Ambiental Cananéia Iguape Peruíbe

14h30 às 15h30 – Palestra e exibição de vídeo – espécies invasoras na Mata Atlântica

15h30 às 17h – Palestra – Espécies da Mata Atlântica no Instituto Butantan

17h às 18h – Palestra – Água das Florestas Tropicais – Rede das Águas



Espaço Arena

Sexta-feira

9h às 11h – Atividade física com Academia Ecofit

11h às 12h30 – Jogo dos Bichos – Bia ou monitores

12h30 às 14h – Sucateca / Reciclagem com Voluntários SOS Mata Atlântica

14h às 15h30 – Umapaz – Aventura Ambiental no Parque Ibirapuera

(inscrições pelo email cintia_kita@hotmail.com ou telefone 11 55721004)

15h30 às 17h – Apresentação de animais da Mata Atlântica – Instituto Butantan

17h às 18h – Bate-papo Planeta Eldorado com artistas convidados

Sábado

9h às 11h – Atividade física com Academia Ecofit

11h30 às 13h – Roda de conversa sobre abordagem colaborativa

13h às 15h – Teatro de bonecos – Amigos da Mata – Voluntariado SOS Mata Atlântica

15h às 17h – Peça de teatro – A cigarra e a formiga – Cia Estúdio Mágico

17h às 18h – Bate-papo Planeta Eldorado com artistas convidados

Domingo

9h às 11h – Atividade física com Academia Ecofit

11h às 12h30 – Conservação e turismo: a experiência da Prainha Branca

12h30 às 14h30 – Dinâmicas com o Instituto Supereco – Salve com um abraço, bate papo com cientista e Corredores de Biodiversidade

15h às 17h – Peça de teatro – História Molhada 2 – a Aventura Continua – Cia Trem Bão

17h às 18h – Bate-papo Planeta Eldorado com artistas convidados

Estandes temáticos: Costa Atlântica, Reservas Particulares, Conservação Regional, Lagamar, Educação Ambiental, Reciclagem, Empresas e Mata Atlântica, Água, Centro de Experimentos Florestais, Restauração Florestal, Produtos Sustentáveis e Túnel dos Sentidos.

Imagens Relacionadas
Arquivos RelacionadosEfetuar Download
Outras Notícias05/06/2009
27 de maio, dia da Mata Atlântica
Restam apenas 7% da mata que havia na época do descobrimento. Vamos preservá-la.

01/04/2009
Toyota lança a Fundação Toyota do Brasil
Fundação se torna o braço social da empresa no País

--------------------------------------------------------------------------------
ToyotaQuem somos Projetos Ações Institucionais Arara Azul Comunidades Parceiros Notícias Fale Conosco Quero ser parceiro Mapa Fale Conosco
--------------------------------------------------------------------------------
© Copyright 2009, Fundação Toyota do Brasil. Todos os direito reservados. Gad'Brivia

Friday, July 3, 2009

Tuesday, June 23, 2009

FESTA JUNINA

Arraial do Clube Brasileiro
Dia: 27 (Sabado) das 4pm as 8pm
Local: Clubhouse Mesa Village
10540 Caminito Baywood
San Diego, CA 92126
Musica ao vivo com a Banda "Batuque Brasil"
Adultos: $7.00 Criancas: gratis
Contato: 858 459-9151 ou 619 224 0864

Festa Junina no Brazil be the Bay
Dia: 27 (Sabado) das 10pm as 2am
Local: Brazil by the Bay
3770 Hancock St
San Diego, Ca 92110
Musica ao vivo
Entrada: $10.00
Contato: Rubinho Moreno - 619 723-9215

Festa Junina do Allan Kardec Fellowship
Dia: 28 (domingo) as 2pm
Local: Presidio Place Clubhouse
5705 Friars Rd
San Diego, CA 92110
Contato: 858 278-4839
****Codigo para entrar: Freda's party"

Participem! Levem toda a familia.

--

Monday, June 8, 2009

MARCIA'S DAY CARE - LA MESA

LA MESA -DAY CARE DA MARCIA

English /Brazilian /Portuguese

(619)697 7008

Wednesday, May 20, 2009

BOLO DE FUBA CREMOSO DA CAROLINA

3 OVOS
1 XICARAS 1/2 DE FUBA
2 XICARAS 1/2 DE ACUCAR
2COLHERES DE MATEIGA OR MARGARINA BEM CHEIA
4 XICARAS DE LEITE
1 COLHER 1/2 DE SOPA DE FARINHA DE TRIGO
1 COLHER DE SOPA DE PO ROYAL
I PIREX DE QUEIJO RALDAO OU COCO RALADO AO SEU GOSTO
RASPA DE LIMAO SE DESEJAR


BATER TUDO NO LIQUIDIFICADOR MENOS AS CLARAS
ADICIONAR POR ULTIMO
ASSAR FOGO MEDIO 400

Thursday, May 14, 2009

BRAZILIAN CATERING

CHEF ROSSI - FAZ SUA FESTA BRILHAR
BRAZILIAN FOOD FOR YOUR PARTY
www.cheftrossi.com

Tuesday, May 5, 2009

GABRIELA TEM MAIS DICAS PARA OS IMPOSTOS DE SUAS CASAS

Venho ofertar meus serviços gratuitamente para aqueles que acreditam que suas casas tiveram uma desvalorização e querem solicitar uma revisão temporária das taxas. Posso fazer o preenchimento do formulário, como também uma comparação da sua casa com as últimas unidades vendidas no seu bairro e transmití-lo para ti via e-mail. Depois é só enviar via correio para: San Diego County Assessor.
Entre em contato comigo fornecendo seu nome e endereço completo.

Texto sobre a redução temporária:

Proposition 8



"Saiba Mais Sobre a Redução Temporária do Imposto Predial "



Esta redução é elegível para proprietários que adquiriram suas casas recentemente e subsequentemente tiveram um declínio no valor do imóvel.

O município de San Diego está oferecendo um redução temporária nos impostos prediais, chamada Proposition 8, que permite uma redução temporária em avaliações do imposto predial fornecendo um alívio aos proprietários cujos valores das propriedades caíram.

Basicamente a Proposition 8 diz que se, o valor do imóvel no Mercado no dia 1 de janeiro de qualquer ano corrente teve uma queda sob o valor avaliado (como mostra na sua conta de imposto predial), o Assessor's Office deve abaixar temporariamente a avaliação refletindo nas condições do Mercado atual.

Em termos práticos, e com a história de valorização das propriedades imobiliárias, avaliou-se que a maioria dos assentamentos no Município de San Diego estão abaixos do valor de mercado.

Os proprietários que acham que o valor de sua propriedade é menor do que está avaliado atualmente, deve contactar o Assessor's Office para requerer uma revisão entre 1 de janeiro à 30 de Maio.

Você precisará indicar sua opinião sobre o valor atual de sua propriedade, como também fornecer documentação que compare a sua propriedade com as últimas que foram vendidas recentemente.

O Assessor's Office então revisará a propriedade numa base anual a cada 1 de Janeiro. Quando o mercado virar e o valor aumentar, a avaliação da propriedade também será reajustada de acordo.

Sob nenhuma circunstância, no entanto, este aumento pode exceder o original valor avaliado.

Após a revisão, o Assessor's Office enviará os resultados até Julho. Se confirmado por uma queda dos valores recentes, a avaliação submetida será abaixada refletindo as condições atuais do mercado.

Para maiores informações, você pode visitar o website www.sdarcc.com ou ligar para o Assessor's Office (858) 505-6262.



Link sobre a Proposition 8: http://arcc.co.san-diego.ca.us/docs/calrev.pdf

--
Gabriela Dedolph
"Servindo a Comunidade Brasileira"
Keller Williams Realty
www.HomeSniffer.com
Mobile # 858 405 8144
Efax # 866 795 0703

Most recent testimonial from a Brazilian Client:

" - Em Janeiro deste ano, tive uma conversa informal com a Gabriela sobre a remota possibilidade de eu conseguir comprar a minha casa propria, e naquele momento, eu achava que a ideia era ousada e ate impossivel, mas a Gabi me animou a conversar com um banco para ver se este sonho seria possivel.
Fiquei muito surpresa de saber que eu poderia conseguir um loan ,e entao comprar uma propriedade, mas nada eu teria conseguido se a Gabi nao tivesse se desempenhado de uma maneira extremanente dedicada e profissional. Nos nos falamos quase todos os dias por quase 2 meses, e em todas as vezes, ela sempre me atendeu, me ajudou e apoiou. Ela trabalha com uma super equipe, e por isso, conseguimos um deal maravilhoso. Preco reduzido com juros baixo e apoio do governo.
Dar um passo como este nao eh facil pois causa muita ansiedade e inseguranca, mas e muito bom ter uma pessoa que voce pode confiar, e que voce sabe que esta brigando pelo seus intereses.
Gabi, voce arrazou !! Hoje sou muito mais sua fa e recomendo voce para todo mundo ! Nos conseguimos este casa juntas e eu estou muito feliz. Muito obrigada !

Fernanda Eugenio "

Saturday, April 25, 2009

MEAT FOR YOUR BARBECUE-ENTREGA NA SUA PORTA


PRIME SELECTION MEET FOR YOUR BARBECUE IS FREE HORMONIO ( FREE DELIVERY )
ROCK SALT ,FAROFA PRONTA FROM BRASIL

CALL FOR MORE INFORMATION
DOUGLAS:619-379.08.36

CORN CREAMY CAKE BLENDER,,,,TRY IT !!!!

Creamy cake in blender


* Ingredientes Ingredients
* 3 ovos 3 eggs
* 2 xícaras (chá) de leite 2 cups (tea) of milk
* 3 colheres (sopa) de margarina 3 spoons (soup) of margarine
* 1 lata de leite condensado 1 can of condensed milk
* 100 g de queijo parmesão ralado 100 grams of grated parmesan cheese
* 1 1/2 xícara (chá) de fubá 1 1 / 2 cup (tea) of corn meal
* 1/2 xícara de açúcar 1 / 2 cup sugar
* 4 colheres (sopa) de maizena 4 spoons (soup) of maizena
* 1 colher (sopa) de fermento em pó 1 spoon (soup) of baking powder
* Margarina e farinha de trigo para untar Wheat flour and margarine to grease
* Tabela de conversão de medidas Imprimir lista de compras Conversion table of measures of shopping list Print

* Modo de Preparo Method of Preparation

1. Bata no liquidificador todos os ingredientes, exceto o fermento Beat in blender all ingredients except the yeast
2. Adicione o fermento e misture Add the yeast and mix
3. Despeje em uma forma retangular untada e enfarinhada Pour into a rectangular coated and floury
4. Leve ao forno por 40 minutos ou até dourar Take the oven for 40 minutes or until gild
5. Deixe esfriar e corte em quadrados Let cool and cut into squares
6. Se desejar, sirva polvilhado com açúcar de confeiteiro If desired, serve sprinkled with confectioner sugar

* Veja mais receitas semelhantes a esta

BROA CREAMY CORN FLOUR

BROA DE FUBÁ CREMOSA Broa creamy corn flour

Ingredientes: Ingredients:

* 4 ovos 4 eggs
* 1 copo de fubá (200 g) 1 cup corn flour (200 g)
* 1 copo (200 g) de queijo ralado (canastra, meia-cura) 1 cup (200 g) of grated cheese (basket, half-cured)
* 1/2 copo de côco ralado (mais ou menos 50 g) 1 / 2 cup shredded coconut (plus or minus 50 g)
* 1 copo de açúcar (200 g) 1 cup sugar (200 g)
* 1 copo de óleo de soja (200 ml) 1 cup of soybean oil (200 ml)
* 1 copo de leite frio (200 ml) 1 glass of cold milk (200 ml)
* 1/2 colher de chá de sal 1 / 2 teaspoon salt
* 3 colheres de sopa de farinha de trigo 3 tablespoon of wheat flour
* 1 colher de sopa bem cheia de fermento em pó 1 tablespoon and full of baking powder
* Açúcar refinado e canela em pó para polvilhar a gosto. Refined sugar and cinnamon powder for powder to taste.

No liquüidificador, bater os ovos com óleo, leite, farinha de trigo, açúcar e sal. In liquüidificador, beat eggs with oil, milk, wheat flour, sugar and salt. Virar numa bacia e acrescentar o queijo eo côco ralado, eo fubá, previamente misturados. Turn into a bowl and add the cheese and the grated coconut, and corn meal, previously mixed. Por último, acrescentar a colher bem cheia de fermento em pó. Finally, add a good spoon full of baking powder. Despeje tudo num tabuleiro retangular médio untado e enfarinhado. Pour everything in a rectangular pan coated medium and floury.
Assar por 30 a 40 minutos em forno pré-aquecido. Bake for 30 to 40 minutes in preheated oven.
Misture o açúcar refinado com a canela em pó e polvilhe em cima da broa antes de servir. Mix refined sugar with cinnamon powder and sprinkled on top of the gem before serving.

********************************************************************** ************************************************** ********************

BOLO DE FUBA DE LIQUIDIFICADOR CREMOSO

Ingredientes:

4 xícaras de leite;
3 ovos; 3 xícaras de açúcar;
1 meia xícara de fubá;
1 meia colher(sopa) de farinha de trigo;
1 colher(sopa) de pó Royal;
1 colher(sopa) de margarina;
meia xícara de queijo ralado.

Preparo:

Bater tudo no liquidificador e depois despejar em forma untada e polvilhada e assar em forno quente

___________________________________________________________________________________

BROA DE FUBA FACIL


Ingredientes:

* 4 ovos
* 1 copo de fubá (200 g)
* 1 copo (200 g) de queijo ralado (canastra, meia-cura)
* 1/2 copo de côco ralado (mais ou menos 50 g)
* 1 copo de açúcar (200 g)
* 1 copo de óleo de soja (200 ml)
* 1 copo de leite frio (200 ml)
* 1/2 colher de chá de sal
* 3 colheres de sopa de farinha de trigo
* 1 colher de sopa bem cheia de fermento em pó
* Açúcar refinado e canela em pó para polvilhar a gosto.

No liquüidificador, bater os ovos com óleo, leite, farinha de trigo, açúcar e sal. Virar numa bacia e acrescentar o queijo e o côco ralado, e o fubá, previamente misturados. Por último, acrescentar a colher bem cheia de fermento em pó. Despeje tudo num tabuleiro retangular médio untado e enfarinhado.
Assar por 30 a 40 minutos em forno pré-aquecido.
Misture o açúcar refinado com a canela em pó e polvilhe em cima da broa antes de servir.

VENDE SE SOFA,MESA CENTRO, BOAS CONDICOES

LIGAR PARA OMAR
619.846.33.88

VENDE SE 2 BIKES

LIGAR PARA OMAR
619.846.33.88
858..270.18.22

PROCURO ROOMATE PARA DIVDIR APARTAMENTO

QUARTO DISPONIVEL
CAPACIDADE PRA 1 OU 2 PESSOAS
PACIFIC BEACH
PHONE:619.823.3171
FALAR COM CLAUDETE

NATIRUTS EM SAN DIEGO VAMOS NESSA....

Monday, April 20, 2009

Saturday, April 18, 2009

GRANOLA EASY TO MAKE

Ingredients
3 cups rolled oats
1 cup slivered almonds
1 cup cashews
3/4 cup shredded sweet coconut
1/4 cup plus 2 tablespoons dark brown sugar
1/4 cup plus 2 tablespoons maple syrup
1/4 cup vegetable oil
3/4 teaspoon salt
1 cup raisins
Directions
Preheat oven to 250 degrees F.

In a large bowl, combine the oats, nuts, coconut, and brown sugar.

In a separate bowl, combine maple syrup, oil, and salt. Combine both mixtures and pour onto 2 sheet pans. Cook for 1 hour and 15 minutes, stirring every 15 minutes to achieve an even color.

Remove from oven and transfer into a large bowl. Add raisins and mix until even

Friday, April 17, 2009

PAO DE QUEIJO

Pão de queijo

Ingredientes:

500 gr de polvilho

300 gr de queijo ralado

200 ml água

150 ml de leite

150 ml de óleo

2 ovos

sal a gosto ou 1 colher de chá



Modo de fazer:



Ponha o polvilho em uma vasilha resistente ao calor e a pressão de sovar a massa.

Misture a água o leite e o óleo em uma panela e leve ao fogo. Quando a mistura começar a ferver, despeje-a lentamente sobre o polvilho, enquanto se mexe suavemente, deixando formar pelotas de goma.

Deixe esfriar até o ponto de toque, cuidado para não se queimar com a massa quente.

Misture o queijo e os ovos e amasse até ficar bem uniforme.

A massa vai ficar meio mole e preguenta.

Você pode untar as mãos com óleo e fazer as bolinhas, ou pode com a ajuda de duas colheres fazer umas pelotinhas sem alisar, neste caso você precisa untar a assadeira.

Pré aqueça o forno a 220 graus (forno alto) e asse os pães de queijo por 25 minutos ou até ficarem dourados.

Sunday, April 12, 2009

MANICURE , DEPILACAO ,MASSAGE

MANICURE :
CALL LU 619-581.28.99

DEPILACAO _ WAXING SERVICE
CALL ADRI 858 964.51.09

MASSAGISTA
CALL ANDREA
CELL (310)256.97.71

HAIR DRESSER
REGIA GANDIM
619 313.1132

HAIR DRESSER BY CLAUDETE
619.823.31.71

HAIR DRESSER
GRACI 619.823.27.75


HAIRDRESSER BY REGIA GANDIM
619-313.11.32

HAIR STYLIST BY CRISTINA
619-920.80.13

Thursday, April 9, 2009

BOLO DE FUBA COM GOIABADA

3 ovos
1 xícara de chá de óleo
1 xícara de chá de leite
1 xícara de chá de fubá
1 xícara de chá de farinha de Trigo
1 xícara de chá de açúcar
1 colher de sopa de fermento químico em pó
1 colher de chá de erva-doce
100 g de goiabada cortada em cubos
100 g de queijo cortado em cubos


Bater no liqüidificador os ovos , o óleo, o leite, o fubá,
a farinha de trigo e o açúcar.
Com o liqüidificador desligado, coloque a erva-doce e o fermento.
Mexa com a colher. Unte e enfarinhe uma forma de buraco no meio
Coloque a massa , a goiabada em pedaços e o queijo , por cima da massa .
Asse em forno médio por 40 min.
A goiabada fica no meio, o queijo derrete.

Esse bolo é muito gostoso, fica bem fofinho...

GOIABADA CASCAO

Goiabada cascão – empreendedorismo & arte

Duas porções de goiaba para uma de açúcar no fogo brando. Não pode parar de mexer para não alterar o ponto. Em duas horas um ciclo da cultura da goiabada está pronto com arte e sabor tradicionais. O fabrico é rápido, mas a história é longa.

Os cinco tachos de cobre com o forte e saboroso cheiro da goiaba no fogo fazem lembrar a infância de qualquer um de nós chamados de papa-goiaba. Esta cultura vem impregnada em sua alma desde a infância quando para avançar nos estudos ajudou os pais na venda do produto. Para ele a goiabada não é fabricada e sim produzida com arte e cultura.
Refiro-me a um conterrâneo que concluiu o ensino médio (High Scholl) em Nova Iorque, engenharia química na Uff e trabalhou depois na Souza Cruz e no Instituto Brasileiro de Petróleo. Fez mestrado em Administração de Empresas pela Brigham Young University, Utah, USA, entre 1994 e 1996 e trabalhou ainda para o Citibank e para a American Express pela qual foi enviado à Londres para desenvolver a função de analista e pesquisador de mercado entre os anos 1998 e 2000.

Depois desta experiência em gestão e marketing o sonho brotou como a semente de uma goiaba. Em 2000 decidiu pela construção de uma unidade de produção artesanal na sua cidade. Hoje, quatro toneladas da tradicional e artesanal goiabada cascão são produzidas por mês. Já ganhou prêmios de qualidade no Brasil e na França.
Sua goiabada foi a primeira no Brasil a receber o Selo Nacional de Goiabada Cascão da Goiabrás e foi uma das poucas empresas que representou a cultura nacional no Ano do Brasil na França, no ano passado.

Em 2003 sua empresa foi destaque numa reportagem na revista Exame, famosa na área de negócios e economia. Tudo isso está afixado em molduras no simples escritório da onde dirige os negócios. Emprega pelo menos sete funcionários que prefere chamar de doceiros. Vende praticamente toda a produção para fora de Campos. O produto embalado na tradicional palha de milho, hoje já chega até o Rio Grande do Sul. Tem como compradores, gigantes como o Pão de Açúcar, Carrefour, Sendas, Wall-Mart, Zona Sul e Lidador entre outras grandes empresas nacionais.

Luiz Pereira é uma pessoa simples, apesar de toda a sua experiência. Trabalha com o mesmo uniforme dos seus funcionários e não gosta de falar das dificuldades que é competir com os produtos fabricados industrialmente, sem o carinho e a cultura que a todo dia embala o ponto dado pelo paladar e pela observação da textura da goiabada.

As dificuldades e as exigências burocráticas para a comercialização e obtenção de crédito para os vôos mais altos são recompensadas pelo apoio que dá e recebe dos seus vizinhos do parque São Jorge. Ainda não formalizou a participação dos empregados nos lucros, mas não deixa de praticar esta moderna ferramenta de administração que influencia o perceptível interesse dos seus colaboradores na produção da sua, ou melhor, nossa goiabada cascão.

Luiz Pereira além de micro-empresário já atuou como docente na Ucam, Isecensa e agora decidiu trocar de banco na escola na busca permanente de atualização e novos espaços de atuação está cursando Turismo na Fafic/Uniflu.
Este texto e a entrevista abaixo é uma homenagem a um empreendedor campista que, ao invés de procurar as facilidades do dinheiro fácil dos royalties, constrói com dignidade o desenvolvimento de sua terra junto com a sua gente.

LOOKING TO CHARE A ROOM

CALL PEDRO
619.581.24.98

AULA DE VIOLAO _ GUITAR CLASS

IF YOU WANT TO PLAY BRAZILIAN MUSIC
CAL CAMILA :619.764.03.92

MASSAGE APOS LIPO ASPIRACAO

ANDREA PATREASSI
CERTIFIED MASSAGE THERAPIST
PHONE:310-256.97.71

VAMOS RECICLAR

Apesar de tímida no Brasil, reciclagem pode ser solução para o lixo
26/05/2008
Por Paula Scheidt, CarbonoBrasil
A crise do lixo no sul da Itália, que ganhou proporções gigantescas nesta semana, levanta o alerta sobre uma das grandes questões a serem encaradas em um mundo cada vez mais consumista. A reciclagem, por outro lado, pode ser uma das respostas com benefícios sociais e ambientais para o problema.

“A reciclagem pode representar uma fração importante do total de lixo e resultar em algo útil para o consumo. Todavia, por motivos econômicos e energéticos, o total de reciclagem de lixo não é factível”, afirma o professor da universidade de Vienna, Paul Hans Brunner, especialista na gestão de lixo.

Dados recentes divulgados pela associação sem fins lucrativos Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre), mostra que apenas um milhão de brasileiros tem acesso aos programas municipais de coleta seletiva, um número relativamente baixo diante do tamanho da população brasileira - 183,9 milhões de habitantes.

Em levantamento realizado em 2005, o Cempre constatou que existem 2.361 empresas operando no setor de reciclagem, entre recicladores, sucateiros, cooperativas e associações. A maioria delas (1.145) está concentrada no Sudeste, seguidas das regiões Sul (722), Nordeste (301), Centro-Oeste (150) e Norte (43).

Apesar de o principal produto reciclado ser o plástico (trabalhado por 577 das 722 empresas recicladoras), o Brasil desponta muitos países industrializados na reciclagem de latas de alumínio, tendo alcançado um índice de 94% em 2006. O metal é justamente o segundo material mais reciclado (60), seguido pelo papel (54) e por embalagens longa vida (14).Vidros, baterias, pneus e pilhas são reciclados por apenas 15 empresas.

As empresas têm desempenhado um papel importante no desenvolvimento da rede de reciclagem brasileira, a exemplo do Cempre, que é integrado por grandes empresas como a Gerdau, Suzano, Alcoa, Nestlé, Unilever, HP e Coca-Cola.

Com o objetivo de consolidar um sistema de reciclagem, a distribuidora da Coca-Cola no Sul do país, Vonpar, oferece ajuda financeira e técnica para projetos de reciclagem nos estados onde atua – Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Rio Grande do Sul, a empresa já selecionou 13 projetos, envolvendo 23 galpões, que receberão ao todo 690 mil reais.

Nesta semana, a empresa lançou o edital de seleção de projetos em Santa Catarina. “Nosso entendimento é que todos os materiais devem voltar para o processo produtivo”, afirma o diretor-executivo do Instituto Vonpar, Leo Voigt.

Ao todo serão disponibilizados 400 mil reais e mais a cooperação técnica por dez meses. “Vamos ajudar também na comercialização dos produtos, que é hoje um dos principais problemas da reciclagem no país”, diz Voigt.
O edital está disponível no site www.vonpar.com.br, onde os interessados também poderão encontrar um modelo de projeto. “O financiamento não tem rubrica, ou seja, é uma grana flexível e a entidade é quem irá nos dizer quais são as suas necessidades”, destaca Voigt.


DESTINO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

País
Aterros
e/ou lixões
Incineração com
recuperação de energia
Compostagem
+ Reciclagem

Brasil*1
89%
--------
11%

República Tcheca*2
76%
14%
10%

Espanha*2
62%
6%
32%

França*2
41%
32%
27%

Itália*2
58%
8%
34%

Portugal*2
73%
20%
7%

Reino Unido*2
79%
7%
14%

Hungria*2
92%
6%
2%

Suécia*3
9,7%
46,7%
43,6%

Estados Unidos*4
54,4%
13,6%
32%

Argentina*5
95%
--------
5%

Colômbia*1
95%
--------
5%

Tailândia*6
30% (só aterro)
54% (inclui lixões)
16%

Wednesday, April 8, 2009

MUQUECA DE PEIXE

1 Onion, chopped
2 Hot chilli Peppers, seeded and chopped
2 Tomatoes, chopped
1 Garlic Clove, chopped
1 tbsp coarsely chopped Coriander
Salt
3 tbsp Lime Juice
900g/2 lb Sole, Flounder or Plaice fillets, cut into 5cm/ 2 inch pieces
90ml/3fl.oz. Water
60ml/2fl.oz. Dende or Olive Oil
Preparation:

1. Place the onion, chili pepper, tomatoes, garlic, coriander, salt and lime juice in a blender or food processor and puree until quite smooth.

2. Place the fish in a shallow dish and pour the puree mixture over the top. Mix lightly, cover with clingfilm and leave to marinate for 1 hour.

3. Transfer the fish mixture together with the puree to a saucepan, add the water and half the oil. Bring to simmering point, stirring then cover and simmer for 5-10 minutes until the fish is done.

4. Add the remaining oil and heat for 1 minute mixing well. Serve hot with rice.
_____________________________________________________________________________________

2-Muqueca de Peixe com
Camarãao


1,5kg. de pintado em postas
Sal, pimenta-do-reino, salsa e orégano a gosto
3 dentes de alho amassados
1/2 xícara (café) de azeite
2 tomates cortados em rodelas
1 pimentão verde picado
1 vidro de leite de coco (200ml)
1 lata de creme de leite
1 lata de molho de tomate
500g. de camarão sete-barbas
cozido


Tempere o peixe com sal, pimenta e o alho. Em
uma panela funda, refogue o azeite, o tomate, o
pimentão, salsa e orégano. Adicione o peixe, tampe a
panela cozinhe em fogo baixo por 30 minutos. À parte,
isture o leite de coco, o creme de leite, o molho
de tomate e os camaróes. Despeje sobre o peixe
na panela, deixe aquecer e sirva

Sunday, April 5, 2009

CAMU CAMU FROM BRAZIL - AMAZON RAINFOREST

Documentation of traditional Camu Camu uses is scarce. It is unlikely that in traditional Amazonian societies Camu Camu has ever been nutritionally relevant. The fruit is extremely acidic, and the flavour can only be appreciated in recipes requiring a blender, dilution in milk/water and the addition of sugar.

The extraordinarily high Vitamin C content (in the order of 2-3% of fresh weight) is the most important property of the Camu Camu fruit, which has been exploited consistently in positioning Camu Camu on international markets. Vitamin C content declines as full maturity is reached, and there is a trade-off between Vit C and flavour expression. As a myrtaceous fruit, Camu Camu most likely provides other nutritional benefits (phenolics, etc.,), but these are less understood and communicated to consumers.

Camu Camu has also a unique aroma and fruit pigmentation. A reddish pigment in the leathery skin (probably anthocyanins) imparts an attractive and unique pink color on juices extracted from Camu Camu. The aroma is subtle, but is not as captivating as in more popular fruits. Camu Camu is more recently also used in ice creams, sweets, etc.

Processed powder from the fruit pulp is beginning to be sold in the west as a health food in loose powder or capsule form. In addition to the high Vitamin C content it contains the amino acids valine, leucine and serine, and is also rich in flavonoids.


[edit] Constraints to the expansion of current use
Price. At FOB prices in Peru soaring to USD 3500 per ton of single-strength juice, Camu Camu is 4-5 times more expensive than comparable fruit pulps and even concentrates. The high price of Camu Camu is a consequence of the difficult logistics involved in production for off-site consumption. The fruits are locally collected, processed and frozen, then shipped to Lima, and exported via ocean freight. The high price of Camu Camu obviously limits demand.
As a source of Vitamin C Camu Camu is several orders of magnitude more expensive than pure synthetic Vitamin C. Obviously, marketeers emphasize that Camu Camu contains “natural” Vitamin C capitalizing on the recent study (Nov 2008) which shows its superior action over synthetic vitamin C in the area of Heart Health.[1]
Competition from natural sources of Vitamin C. Concentrates and extracts of rose hips, acerola (another myrtaceous fruit) are less expensive per unit of Vitamin C, probably because of economies of scale.
Irregularity of quality and timing of raw material supplies from wild populations. Prices paid to fruit collectors on the Rio Napo in Peru in Jan 2006 soared to one USD/kg fresh fruit because of drought-induced low harvests. Local markets are still able to pay such prices for limited quantities, but local processors and exporters have been put out of business, at least until prices relax to make the purchase of raw material affordable again. Exporters insure themselves against irregular raw material supplies by maintaining large stocks of frozen finished produce, but this further adds to cost.
Food safety legislation in export markets. As a food product Camu Camu has probably not been available in the EU prior 1997 and may therefore be subject to the Novel Food Regulation (NFR), which requires very stringent food safety requirements to be met before a product is granted access to the community’s market. The scientific documentation as to the toxicity, nutritional composition and potential allergenic hazards required by NFR is currently not available. The NFR has discouraged investment in export-oriented supply chains and has emerged as a serious constraint to many NUS products (see external links to GFU documentation, Hermann 2004).

[edit] Conservation issues
Currently, the over-harvesting of wild Camu Camu threatens to make it an endangered species. Efforts are underway to encourage the commercial growing of Camu Camu in the Amazon River Basin. see links.


[edit] Future prospects
Camu Camu is a species with promising potential, but unknown in target markets. A concerted effort is needed to advertise Camu Camu products, and to make the species more competitive vis-à-vis its substitutes.

Because of its endemic nature and possibly narrow ecological adaptation providing a certain degree of protection against competitors, Camu Camu merits prioritization by regional governments and allocation of resources for further development.

Progress toward more competitive cropping of Camu Camu in plantations (as opposed to wild collecting), however, might compromise benefits to rural people now deriving benefits from collecting fruits from the wild.

Myrciaria dubia, commonly known as Camu Camu, CamuCamu, Cacari, and Camocamo, is a small (approx. 3-5 m tall) bushy river side tree from the Amazon Rainforest vegetation in Peru and Brazil, which bears a red/purple cherry like fruit. Its small flowers have waxy white petals and sweet smelling aroma. It has bushy feathery foliage. The evergreen, opposite leaves are lanceolate to elliptic. Individual leaves are 3 - 20 cm in length and 1 - 2 cm wide.

It is a close relative of the Jaboticaba (Myrciaria cauliflora) and the Guavaberry or Rumberry (Myrciaria floribunda).

Saturday, April 4, 2009

EVERYTHING ABOUT REAL STATE YOU CAN FIND HERE-DICAS PARA QUEM ESTA COMPRANDO CASA!

San Diego Magazine
FIVE STAR Real Estate Agents
ANNOUNCING: San Diego’s 2009 FIVE STAR Real Estate Agents
We surveyed recent homebuyers and other industry experts to find the best real estate agents in the San Diego area. Here they are.
Experts say that at least 90 percent of homebuyers rely on real estate agents for advice and guidance. But with more than 12,000 San Diego residents holding real estate licenses, how do you find someone who knows the market, represents your interests and operates with an emphasis on integrity and service?
San Diego Magazine can help. For the second year, the magazine partnered with Crescendo Business Services, an independent research firm, to find out which real estate agents have most consistently wowed their clients.

The Selection Process
This past August, Crescendo surveyed by mail and phone 20,500 San Diego area residents who had recently purchased homes, and 9,000 subscribers of San Diego Magazine. An additional 400 surveys were sent to mortgage and title companies, who are often best able to judge a real estate agent’s technical skills and knowledge. On the surveys, recipients were asked to nominate only real estate agents whom they knew through personal experience. They were asked to evaluate them based upon nine criteria: customer service, communication, finding the right home, integrity, negotiation, marketing the home, market knowledge, closing preparation and overall satisfaction. Only original surveys—no copies—returned in their specially designed envelopes were accepted as valid. By September, stacks of surveys had arrived, and Crescendo began carefully scoring and screening each nominee with the California State Real Estate Commission’s database to make certain that licenses were up-to-date and that no disciplinary actions were pending. Then, before finalizing the list, nominated real estate agents were reviewed by a blue-ribbon panel of local industry experts. The panel consisted of realty company executives, professional and trade association officers and others directly involved in housing-related businesses. Although panelists’ comments were incorporated into the final score, safeguards were built into the review process to reduce the ability of panel members to influence the composition of the final list on the basis of company affiliation.

Best in Client Satisfaction
The resulting list of FIVE STAR Real Estate Agents is an elite group, representing less than 3 percent of licensed agents in the San Diego area. Only 360 of the top-scoring real estate agents made this year’s list. To make the list more user-friendly, agents have been grouped based on their city of focus. Throughout the nomination process, respondents told stories of lasting friendships that have emerged from what is most often a stressful business transaction. Several even wrote essays on why their particular agent excelled. Although this list will certainly be a useful tool for anyone buying or selling a home, it should not be considered exhaustive.

CARMEL VALLEY
James Dedolph, Keller Williams Realty “The HomeSniffer Group”

Congratulations James!!!




--
Gabriela Dedolph
REALTOR
"The HomeSniffer Group"
Keller Williams Realty
www.HomeSniffer.com
Mobile # 858 405 8144
Efax # 866 795 0703

Most recent testimonial from a Brazilian Client:

Esse depoimento não será escrito apenas para atender a um pedido da Gabriela. É para nos uma honra e um prazer poder expressar nossa admiração e gratidão `a essa excelente profissional e pessoa super do bem que ela é.


Os serviços prestados pelo Home Sniffer na pessoa da Gabi, foram muito eficientes e superaram nossas espectativas. Tivémos toda assessoria necessária em todas as fases da negociação.


Durante a procura, a Gabi se comportou como uma verdadeira Sniffer...rsrs Procurou nos conhecer e conseguiu captar nosso jeito, nossas expectativas, nosso "bolso" e nos apresentou casas de acordo com o nosso perfil. Isso ajudou muito a nao desperdiçar o nosso tempo visitando casas que não iriam nos interessar.
No processo de compra, ela providenciou tudo com muita eficiência e se mostrou criativa, apta e ágil na solução de problemas com idéias geniais.
A Gabi está sempre um passo `a frente, faz além do contratado e isso facilitou muito a realizaçao do nosso sonho. Hoje moramos em uma casa linda e com o nosso jeitinho!


Deu para perceber que nos tornamos genuínos fãs da Gabriela?
Desde que a conhecemos não hesitamos um segundo para indicar os serviços do Home Sniffer `a qualquer pessoa amiga que está pensando em realizar o sonho da casa própria, porque sabemos que será realizado com o mesmo carinho e competência com que fomos tratados.


Obrigado Gabi!
Miki e Sammy
Vista, CA

From: Denise Croom
Trans Westing Housing, Inc.
Again, thanks for a smooth closing. I hope we get a chance to work together again in the future, you are a wonderful Sales agent. The Obara's are very lucky to have you!

Friday, April 3, 2009

THE ART OF BRAZILIAN SOCCER

IF YOU WANT MAKE A TEAME (BIG GROUP OR SMALL) WITH YOUR FRIENDS
OR CAMPANY .
www.futsal4elite.com

BOLO DE CHOCOLATE SEM FARINHA

BOLO DE NESCAU SEM FARINHA ( TIA CIDA MARCH/2009)

6 OVOS
2 COLHERES DE(SOPA) MANTEIGA
8 COLHERES DE (SOPA) ACUCAR
2 COLHERES DE (SOPA)
6 COLHERES DE NESCAU
100 GR COCO RALADO
I COLHERE BEM CHEIA DE PO ROYAL
BATER TUDO NO LIQUIDIFICADOR SEM O PO ROYAL ADICIONAR POR ULTIMO SEM BATER.
CALDA
4 COLHERES DE NESCAU DE SOPA
2 ACUCAR
1 LATA DE CREM DE LEITE
EMGOSSAR NO FOGO LENTO.
JOGAR EM CIMA DO BOLO DEPOIS DE PRONTO
AINDA QUENTE

BRIGADEIRO MUITO FACIL !



1 Lata de leite condensado
2 colleres de nescau
2 colhres rasa de manteiga sem sal
colocar em um panela fogo medio baixo,
depois de alguns minutos baixo apenas
para dar o ponto .
colocar em uma tigela para esfriar para poder
fazer as bolinhas,untar a mao com manteiga, depois colocar o granulado em um tigelinha bem pequena para pegar mais facil ( segredo untar a mao com manteiga )

NOS TEMOS TODOS OS INGRIDIENTES
ACAI BRAZILIAN MARKET
SAN DIEGO CA,92109
1570 GANET AVE
CALL 858_270.18.22

ROOMATE_SELL BUY TRADE

FEMALE PROCURO QUARTO PARA DIVIDIR
619-409.18.35

MANJAR DE VERAO ( DANDA )


FAZER UMA MARIA MOLE DEIXAR ESFRIAR UM POUCO
BATER NO LIQUIDIFICADOR COM
1 LATE DE LEITE CONDENSADO
1 LATE DE CREME DE LEITE
DEPOIS DE BATIDO COLOCAR EM UM FORMA DE BURACO UNTADA COM MNATEIGA OR MARGARINA SEM SAL E DEIXAR NA GELADEIRA POR 4 A 5 HORAS

FAZER UMA CALDA DE ACUCAR QUEIMADO COLOCAR POR CIMA DEPOIS DE PRONTO( A CALDA DECE ESTAR COMPLETAMENTE FRIA )

MECANICO SR . JOSE

SR. JOSE BRASILEIRO RESIDE AQUI SAN DIEGO POR VOLTA DE 30 ANOS
TEM UMA GRANDE CONHECIMENTO COM MECANICA E CLARO BOM PRECO TAMBEM.
ATENDE A DOMICILIO AS VEZES.
CALL :619-624.05.63

Thursday, April 2, 2009

CHA MATE COM LEITE NINHO E GUARANA SYRUP



FAZER CHA MATE FORTE
ESPERAR ESFRIAR MANTER SEMPRE NA GELADEIRA
RECEITA DE UM COPO CHEIO DE CHA
UMA COLHER DE LEITE NINHO
ADICIONAR XAROPE DE GUARANA A GOSTO OU ACUCAR
POUQUINHO DE GELO.
BATER TUDO NO LIQUIDIFICADOR E SO SABOREAR

PAO DE QUEIJO COM CATUPIRY-REQUEIJAO

Friday, March 27, 2009

MUSICAS QUE MARCARAM O TEMPO

Desenho de Deus (2006) Dandara (2005) Mulher Ideal(2002) Eu Sei (2004) Meu Ébano(2005) Passarela no ar(2006) Por mais que eu tente(2005) Se não é amor(2005) Epitáfio (2001) A Miragem (2001) A Loba(2001) Se quer saber (2002) Amor e Sexo(2003) As Loucuras de uma Paixão(1997) Vê se me erra(1992) Devagar...Devagarinho(1995) Dois (1997) A canção tocou na hora errada(1999) Mal Acostumado(1998) Paratodos(1993) Espanhola(1999) Partituras(1995) Sonhos(1994) Tem coisas que a gente não tira do coração(1996) Chama da Paixão(1994) Sol de Primavera(1994) Lenha (1999) Mulheres(1998) SE (1992) Beija eu (1991) O Canto da Cidade(1992) Nobre Vagabundo(1996) Recado(1990) Encontro das Águas(1993) Sozinho(1999) Ta na Cara(1998) Resposta ao Tempo(1998) Ainda lembro(1994) Nuvens(1995) Dez a Um(1997) Bem Querer(1998) Caça e Caçador(1997) Alma Gêmea(1995) Quem é Você(1995) Um Dia de Domingo(1985) Coração de Estudante(1983) Momentos(1983) Quarto de Hotel(1980) Se eu quiser falar com DEUS(1980) Meu Bem Meu Mal(1981) Você é Linda(1983) Baila Comigo(1980) Vai Passar(1984) Menino do Rio(1980) Oceano (1989) Fonte da Saudade(1980) Conselho(1986) Alma(1982) Mel na Boca(1985) Saigon(1989) De volta pro meu aconchego(1985) Faz parte do meu show(1988) Só Pra Contrariar(1986) Um Homem também chora(1983) Deslizes(1989) Bilhete(1980) Balada do Louco(1982) Viajante(1989) Um certo alguém(1983) Purpurina (1982) Verde (1985) O que é o que é (1982) Me dê Motivo(1983) Lança Perfume(1980) Estranha Loucura(1987) Tiro ao Álvaro(1980) Anos Dourados(1986) Caçador de mim(1980) Agonia (1980) Meu Bem Querer(1980) Ao que vai chegar(1984) Como Uma Onda(1983) Tudo com você(1983) Paixão(1981) Codinome Beija Flor(1985) Samba pra Vinicius(1980) Papel Machê (1984) Judia de Mim(1986) Brasil (1988) Ontem (1988) Encontros e Despedidas(1985) Nos bailes da vida(1981) Samurai (1982) O Caderno(1983) Pedacinhos(1983) O último romântico(1984) Cama e Mesa(1984) Todo o Sentimento(1987) Apesar de Você (1972) Grito de Alerta (1979) Naquela Mesa (1970) Detalhes (1970) Gabriela(1975) Gostava Tanto de Você(1973) Tigresa (1977) Coisinha do Pai(1979) Quando eu me chamar Saudade(1974) Canta Canta minha gente(1974) Foi um Rio que passou em minha vida(1970) Cio da Terra(1976) Juízo Final(1976) O Mar Serenou(1975) Gota D'Agua(1976) Não deixe o samba morrer(1975) Viagem (1973) Sufoco (1978) Bandolins(1979) Atrás da Porta(1972) Argumento(1975) Regra Três(1973) A paz do meu amor(1974) Toada(1979) Meu mundo e nada mais(1976) Você abusou(1971) Tristeza pé no chão(1972) Rosa de Hiroshima(1973) Valsinha(1971) Retalhos de cetim(1973) Águas de Março (1972) Começar de Novo ( 1978) Loucura (1979) Começaria Tudo Outra Vez(1976) Foi Assim (1977) Outra Vez(1977) Café da Manhã (1978) Folhas Secas(1973) Só Louco(1976) 1.800 Colinas(1974) Dança da Solidão(1972) Olho por Olho(1977) Conto de Areia(1974) A Deusa dos Orixás(1975) Alvorada no Morro(1973) Pra Você(1972) Os Amantes(1977) O Surdo(1975) Pedaço de Mim(1979) To Voltando(1979) Pela Luz dos Olhos Teus(1977) Se queres saber(1977) O Bêbado e a Equilibrista(1979) Wave (1977) Você (1974) Canto das Três Raças(1974) Desabafo(1979) Samba de Orly(1971) Seu Corpo(1975) Madalena(1970) Samba de uma Nota Só ( 1960) Disparada (1965) Travessia ( 1967) Matriz ou Filial ( 1964) Trem das Onze (1965) Viola Enluarada (1967) A Banda (1965) Cantiga por Luciana ( 1969) Carolina (1967) Festa de Arromba ( 1964) Hoje (1966) Upa Neguinho (1967) Prova de Fogo (1967) Samba do Avião(1967) Noite dos Mascarados(1967) Laranja Madura (1966) Mas que nada(1963) País Tropical(1969) Modinha(1968) Poema do Adeus(1961) Sem Fantasia(1967) Estão voltando as flores(1961) Samba em preludio(1962) Negue (1960) Garota de Ipanema ( 1962) Apelo (1967) O Barquinho ( 1961) Gente Humilde ( 1969) Minha Namorada (1962) Arrastão (1965) Alegria Alegria (1967) Caminhando (1968) Você passa eu acho graça(1968) Namoradinha de um amigo meu(1965) A Flor e o Espinho ( 1964) Preciso aprender a ser só(1965) Volta por cima(1962) Mulher de Trinta(1960) A Praça(1967) Chove Chuva(1963) Brigas(1966) Fotografia(1967) Andança(1968) Roda Viva(1967) Samba do crioulo doido(1968) Ninguém Me Ama( 1952) Eu Sei Que Vou Te Amar (1958) Saudosa Maloca ( 1955) Chega de Saudade ( 1958 ) Conceição ( 1956) Desafinado (1958) Esse seu olhar(1959) Iracema(1956) Dindi (1959) Ronda(1953) Evocação nº1(1957) Eu não existo sem você(1958) A Noite Do Meu Bem(1959) Se Todos Fossem Iguais a Você (1957) Castigo ( 1958) Ouça ( 1957) Lábios de Mel ( 1955) Molambo ( 1953 ) Estrela do Mar(1952) Tereza da praia(1954) Alguém como tu(1952) Evocação nº2(1958) E daí?(1959) A Deusa da Minha Rua ( 1940) Chuvas de Verão (1949) Copacabana ( 1947) Amélia (1941) Adeus -Cinco Letras que choram-( 1947) Última Inspiração( 1940) Marina ( 1947) Ave Maria no Morro (1942) Eu sonhei que tu estavas tão linda (1942) Atire a Primeira Pedra ( 1944) Brasileirinho ( 1949) Mensagem ( 1946) Velho Realejo( 1940) Caminhemos( 1947).








que

Wednesday, March 25, 2009

HISTORIA DO LEITE CONDENSADO

O Doce Brasileiro e o Leite Moça | Leite Condensado

UMA DOCE HERANÇA

Corria o ano de 1890. A Sociedade brasileira, agitada, aprendia a conviver com o novo mundo aberto pela abolição da escravatura e pela recém-nascida República.
O fim do regime escravo trouxera , entre outras maravilhas , pessoas de todas as partes do mundo, trabalhadores que vinham subistituir a mão-de-obra africana. E assim o país enrequecia com novos costumes , novas tradições, novos hábitos. No campo, na cidade , aprendia-se a conviver com imigrantes europeus. Ao mesmo tempo, jovens de elite retornavam de seus estudos na Europa, novas idéias fervilhavam na antiga corte, ouvia-se falar até de movimentos de emancipação feminina. Enfim, ventos novos sopravam de além-mar. E não eram só idéias que aqui aportavam. Nos portos do Rio de Janeiro e de Santos desembarcavam a matéria da Dinamarca, tecidos ingleses, porcelana francesa, queijo e frarinha “do reino”, como os brasileiros se referiam a sua antiga metrópole, onde, de fato, a monarquia por uns bons vinte anos. Mas, aqui, a novíssima República estava efervecente. As cidades cresciam, a população aumentava, o governo adaptava-se às novas circunstâncias. Em cidades maiores, como São Paulo e Rio de Janeiro as ilhas de bonde puxado a burro alongavam seus percursos, chegavam a regiões mais distantes do centro, facilitando a vida da população. E os lampiões a gás, iluminando as ruas, favoreciam uma animada vida noturna.
Mesmo nas cidades, progresso e conservadorismo conviviam lado a lado. Pra abastecer as casas, os aguadeiros passavam diariamente com suas carroças, trocando as pipas vazias por outras cheias de água limpinhas. Mas as autoridades tomavam providência para melhorar esse abastecimento. Em São Paulo, a Campanhia Cantareira entregava à população a grande caixa d’água da Consolação que passou a alimentar as chafarizes; no distrito da Luz, comecava a ser instalado o servico de esgotos. Pelas ruas, o pregão de vendedores de peixe, leite, frutas e jornais misturava-se ao ruído das carroças e dos animais. Nas praças e ruas movimentadas, junto a portas de teatro e de igrejas, as negras forras armavam seus tabuleiros para oferecer mugunzá e tapioca, cuscuz e pamonha, paçoca e outras lanbiscarias. Era a cozinha ganhando a rua firmando a tradição, já presente, das múltiplas influências comfluindo para um só destino: a amor do brasileiro pelo doce.





OS DOCES DAS SINHÁS

Na verdade, foi da tradição portuguesa que herdamos essa preferência pelo doce. O índio e o africano pouco contribuíram para a arte da doçaria no Brasil. Pelo que se sabe, um e outro não traziam, em sua cultura, o hábito do consumo de doces. Já não se dava o mesmo com os portugueses, que amavam doces bem doces, influência da cultura árabe. Da Ilha da Madeira troxeram para cá a cana-de-açucar, acolhida com prazer por nossa terra tropical. Bom motivo para jovem nação crescer amando os doces.
Na fazenda do nordeste açucareiro as iguarias doce se enriqueciam com os futuros da terra, ganhando novos temperos e perfumes, pela mãos habilidosas da cozinheiras.
Enquanto isso, outros doces produziam-se em segredo no silêncio dos coventos. As monjas portuguesas trouxeram para estas remotas paragens a secular herança de sua terra natal e, com os produtos da terra, reinventaram insuspeitados requintes.
Depois, em algum momento perdido na história, essas duas vertentes se cruzaram. A culinária doce passou a fazer pate da vida das senhoras da casa colonial, criando a expressão para seus sentimentos e sua arte.
No início do século passado oferecer doces como presente já era uma tradição: as senhoras entravam na cozinha para confeccionar deliciosos e delicados presentes envoltos em clima secreto de misteriosas receitas passadas de mãe pra filha, aprendizado indispensável de vida.
Presentes com doces, que doce maneira de agradar!…
Donzelas e jovens senhoras embalavam em papel delicadamente recortado os apetitosos docinhos que sua mãos elaboravam.
Assim a mulher se expressava, assim ela se integrava na vida social.
Levava o calor de sua cozinha e o carinho de suas mãos para a família, os amigos, os parentes, um eventual namorado. Tomava forma a linguagem do doce, cheia de significados e sentimentos.
Nos nomes dos doces estava a chave para o entendimento da mensagem. Falavam de emoções e promessas nem sempre concretizadas como os beijinhos, muxoxos, saudades, agradihos, outras vezes evocavam sua origem religiosa: papo de anjo creme celeste, bolo de santo Antônio, manjar divino, mas também podiam ser irreverentes e bem humorados: olho de sogra, beijos de frade, barriga de freira, espera marido….
Nas festas do interior, as famílias intercambiavam doces e receitas. Mesmo nas cidades grandes, era um requintado dever de cordialidade enviar às amigas mais queridas uma bandeja forrada de doce, de preferência acomodados em finas porcelanas. E não deixava de ser uma excelente oportunidade para exibir os dotes culinários tão intensamente cultivados.
Preparados pela dona-de-casa, o doce devia sempre ser feito em casa.
Quase como um ritual secreto cada doce levava em sua receita uma marca especial passada de geração em geração. Muitas receitas acabaram por receber o nome da família, como o pernambucano Bolo Souza Leão, ou a queijadinha de Yayá Ribeiro.
Naquele final de seculo XIX, muita coisa estava mudando, dentro e fora das casas. Portas a dentro, a sinhá, embora já não tivesse escravos. Sua posição privilegiada revela-se pelo fato de ter todo um corpo de serviçais para as tarefas mais pesadas. Não é à toa que na época falava-se de duas cozinhas: uma “branca”, outra “suja”. “Branca” era a cozinha onde sinhá entrava para dar o ponto certo no doce, que ela mesma provava e depois oferecia em finas compoteiras de louça ingluesa.
A cozinha “suja” era em geral escura e encardida de picumã, nela sinhá quase numa entravam. Era o local onde se depenavam aves, cortavam lenha, pilavam grãos, trabalho pesado , feito com a ajuda de escravos forros.

O LEGITIMO LEITE DA SUÍCA

Chegou na hora certa. No dia 22 de janeiro daquele ano 1890, o jornal O Estado de São Paulo trazia, em meio a seus classificados, um anúncio discreto. Desembarcara no Brasil e estava à venda “a varejo e em grosso” na drogaria São Paulo, na rua São Bento, um novo produto. Ótimo alimento para “creanças”, preferível mesmo ao leite fresco, esse novo produto era o leite condensado, que oferecia a garantia do nome do doutor Henri Nestlé.
Realmente o nome do suíço Henri Nestlé já representava uma garantia para as mulheres bem informadas. Desde 1866, Henri Nestlé produzia na Suíça uma milagrosa Farinha Láctea, que era importada no Brasil pelos consumidores exigentes. E em 1876 fizera publicar no jornal uma carta que caracterizava uma afirmação indiscutível da sua confiabilidade e da preucupação com a marca que leva seu nome. A carta informava ao consumidor brasileiro que só existiam no País dois representantes autorizados para comercializar seu produto: o sr. D. Filipone, no Rio de Janeiro, e o sr. Henrique Levi, em São Paulo. Com essa carta ele pretendia evitar a venda de farinha falsificada, que usasse indevidamante seu nome. Sem dúvida, esse suíço era uma pessoa confiável e merecia crédito ao anunciar seu “Leite Condensado”.





O novo produto logo conquistou as preferências. Durante anos a fio, os carregamentos vindos da Suíça foram esperados com ansiedade. E quando nas boas casas de importados aparecia a tal latinha, trazendo espantada a figura de uma simpática mocinha suíça que permitia indentificar logo a procedência, as solitações eram imediatas. Todas queriam a “lata da mocinha”. E assim, a mocinha suíça entrou na cozinha brasileira e veio para ficar.
Com o seu jeito de inventar e inovar, a mulher brasileira, para não ter de ler em inglês, transformou a mocinha da lata em marca, ao pedir, simplesmente, “aquela lata que tem a mocinha”, ou “a lata da mocinha”.essa indentificacão foi tão forte que mais tarde, quando se comecou a fabricar o leite do Dr. Nestlé no Brasil, não se hesitou em indentificá-lo como leite moça, marca que se preserva até hoje.





A MULHER E A MOCINHANaqueles tempos, no final do século XIX, a mulher brasileira vivia confinada ao lar. Sua criatividade e invenção encontravam vazão no paciente elaboração de requintados bordados e frivolités, talvez nas teclas do piano ou pianola que musicavam de ares e, acima de tudo, no esmero da confecção de suaves maravilhas, doces bem doces e macios.
Naquele começo de República, naquele novo país que se abria para um mundo moderno, os saraus, festas e reuniões eram quotidianos.
Para abrilhantá-los, para fazer as horas da casa, a senhora fina se esmerava nos doces. Um dos grandes sucessos era o chamado “Pudim Republicano”. Com tantas outras coisas, o pudim colhia sua inspiração na Europa, amaciando e suavizando o português toucinho-do-céu.
Preparado com amêndoas, leite, ovos e açúcar, o toucinho-do-céu era um doce bem concentrado, de textura pesada, preparado longamente no tacho. Já o Pudim utilizava novas técnicas para misturar os ingredientes e também para o cozinhamento, permitindo obter um doce mais leve e mais cremoso. E tomou o nome emprestado do tradicional “Pudding” inglês, do qual era bem diferente. O Pudim Republicano mesclava o marcante sabor das amêndoas importadas à cremosa maciez de ovos e açúcar bem batidos, lenta e carinhosamente acresentados ao leite. Só então, era assado em prolongado banho-maria .
Bem poucas eram as privilegiadas que conheciam todos os segredos de seus preparo, mas o mais difícil mesmo era obter o ponto certo, ideal. Ah! Quanto choro, quanta expectativa frustada, quanta ansiendade! O leite era fervido lentamente, na parte menos quente do grande fogão à lenha, “no canto” da tampa. Com paciência e mansamente, iam sedo acresentadas as gemas bem batidas, até ficarem brancas, com açúcar, farinha do reino e pó de amêndoas.
Longo tempo de ebulição branda, mexendo sempre, antes de derramar o creme encorpado no tacho já forrado com a calda dourada do açúcar grosso. Aí em banho-maria e com muito tempo pela frente, bastava deixar o creme cozinhar e transformar-se no macio e suave pudim.
E ainda não estava pronto; precisaria permanecer durante horas fora do fogão para esfriar bem, antes de desenformar. E aí, quanta ansiedade! Quem saberia se o ponto ficaria exato? Certeza mesmo, só ao desenformar. E se não desenformasse direito, nem merecia ser servido. Trabalho, tempo e ingrediente perdidos.
Ao pedir pela primeira vez sua “latinha da mocinha” é bem capaz que nossa jovem bisavó nem imaginasse que transformação estava desencadeando em sua, e em nossa, vida. Cremoso, macio e doce, o Leite Moça ajustou-se às maravilhas, à tradição doceira do País, onde o sabor bem doce era um requinte tão prezado quanto a textura macia e cremosa. Esse novo produto não tardou a tornar-se indispensável.
Para começar, o Leite Moça facilitou o preparo dos pudins, ambrosias, babas-de-moça, doces de leite. E ele foi entrando e refinando o preparo das cocadas, beijinhos, sequilhos e rosquinhas. Adoçou e tornou mais cremosa a canjica, o arroz-doce, o curau, os ovos nevados. Ajudou a tornar mais macio os bolos, os manjares e as balas.

Para a mulher do final do século XX, cem anos depois do tempo das sinhás, uma das grandes vantagens do Leite Moça é a economia de ovos, leite e tempo. O Leite Moça tornou mais rápido e mais facíl o preparo dos doces tal como quer e gosta a mulher moderna. A “mocinha” foi ajudando a mulher ao longo desses últimos cem anos. Deixou sua marca na história da República, ao colaborar na criação de antigas receitas que homenageavam datas e personagens; o Pudim Sete de Setembro e o Bolo Farroupilhas fizeram, às vezes companhia, até na mesma mesa, ao bolo Getúlio Vargas e ao Pudim Treze de Maio. Desde a década de 1940, saiu da lata da “mocinha” o doce que se tranformaria na principal presença em toda festa. Inspirado pela figura romântica do brigadeiro Eduardo Gomes, a mistura precisa e exata de Leite Moça com chocolate foi batizada com o nome que todo mundo conhece. Até hoje, não há festa sem Brigadeiro.

HOMENAGEM À “MOCINHA”

A “mocinha” esteve todo esse tempo acompanhado a mulher brasileira.
Em 1921, ele começou a fazer aqui, com o novo nome, o novo rótulo, tudo em português, na primeira fábrica, montada em Araras, no interior de São Paulo. Hoje, o Leite Moça está no Brasil inteiro.
Desde a chegada daquelas primeiras latas, com o sobrenome do Dr. Henri Nestlé, já se passou um século. Neste século, vieram as geladeiras, as primeiras importadas aqui chegaram em 1934, e com elas nasceram os pavês e sorvetes, as musses e os cremes gelados. Depois, vieram os fogões a gás, o freezer, o forno microondas e as embalagens descartáveis, as panelas esmaltadas e as de pressão, as formas de alumínio e as de vidro ou louça refratária.
Na segunda metade do século XX, a mulher já atravessava as portas do lar e ganhava um espaço mais amplo na sociedade.
Essa nova mulher parte então para invenção de maravilhosas misturas, graças à ajuda do Leite Moça: meia-de-seda, caribe, calipso…
No final do século XX, Leite Moça comemorou seu centenário no Brasil. Para melhor comemorar, brindamos a mulher brasileira com diversas receitas de Doce Brasileiro.
Reunimos no LeiteCondensado.com uma boa parte dos trinta anos de experiência da Cozinha Experimental do centro Nestlé de Informação ao consumidor.
Este site aborda, como não poderia deixar de ser, os segredos do pudim, o novo pudim feito com Leite Moça; síntese de tantas receitas antigas, com dúzias de ovos e caldas complicadas. Passo a passo, com fotos que falam por si, mostramos cada etapa do preparo de um prato, tanto do clássico pudim quanto dos ovos nevados, ou dos modernos suflês.
Mas cada doce, cada receita, dá margem a invenções e criações sem fim.
Algumas variações você já encontrará aqui: após a explicação técnica, damos um elenco de receitas preparadas segundo o mesmo princípio básico.
O resto fica por sua conta; é fácil inventar, esse é um tradicional atributo da mulher brasileira.
No fim, tudo vira festa, porque sempre há um motivo para comemorar. Experimente as sugestões que oferecemos para diferentes ocasiões. Crie e recrie novas delícias.
Parabéns a Leite Moça, que já completou cem anos no Brasil.
Parabéns a você, que sempre faz e fará Maravilhas com Leite Moça.

Fonte: livro “O Doce Brasileiro” do acervo culinário Nestlé.

Posted in História do Leite Condensado | 2 Comments »

nov
7
Churros com Leite Condensado Cozido

Rendimento: 12 Unidades

Ingredientes:

- 2 xícaras (chá) de água
- 1 pitada de sal
- 1 col. (sopa) de manteiga
- 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
- 3 ovos

Cobertura

- 1 lata de leite condensado cozida

Para polvilhar

- açúcar e canela a gosto

Modo de Preparo:

1. Cozinhe a lata de leite condensado na pressão por 30 minutos e reserve.
2. Leve ao fogo a água, o sal e a manteiga e, quando ferver, acrescente a farinha de uma vez só, mexendo bem. Retire do fogo e deixe esfriar.
3. Junte um ovo de cada vez e misture bem.
4. Coloque a massa em um saco de confeitar com bico pitanga e esprema diretamente sobre o óleo quente, tomando cuidado para não se queimar.
5. Frite dos dois lados, escorra, polvilhe açúcar e canela e sirva quente com o doce de leite.

Posted in Doces, História do Leite Condensado, Leite Condensado, Receitas | No Comments »

nov
5
História do Leite Condensado
O Leite Condensado surgiu quando o norte-americano Gail Borden, tentando desidratar o leite comum, descobriu que, antes de transformar-se em leite em pó, o produto se tranformava em leite condensado.

A invenção de Borden, patenteada em 1856, só foi valorizada quando estourou a Guerra Civil Americana, quatro anos depois. Transportando leite em pó e leite condensado para as tropas - e depois colocando esses produtos no mercado - Gail Borden ficou rico.

O leite condensado comercial possui uma alta adição de açúcar, mas existe variades in natura que é o leite evaporado, e não contém açúcar.

Possui como ingredientes em sua composição: leite integral, açúcar, leite em pó integral e lactose.

Leite condensado é o ingrediente principal do Brigadeiro (doce).

Posted in Brigadeiro, História do Leite Condensado | No Comments »

out
16
História do Leite Condensado
O Leite Condensado surgiu quando o norte-americano Gail Borden, tentando desidratar o leite comum, descobriu que, antes de transformar-se em leite em pó, o produto se tranformava em leite condensado.

A invenção de Borden, patenteada em 1856, só foi valorizada quando estourou a Guerra Civil Americana, quatro anos depois. Transportando leite em pó e leite condensado para as tropas - e depois colocando esses produtos no mercado - Gail Borden ficou rico.

O leite condensado comercial possui uma alta adição de açúcar, mas existe variades in natura que é o leite evaporado, e não contém açúcar.

Possui como ingredientes em sua composição: leite integral, açúcar, leite em pó integral e lactose.

Leite condensado é o ingrediente principal do Brigadeiro (doce).

Na Guerra de Secessão nos EUA (1861 - 1865) o leite consumido pelos combatentes no ”Front”,era levado através de tração animal o que era um problema, pois o leite estragava-se no transporte. O calor aumenta a pericibilidade do leite, e precisavam achar uma maneira de levar o leite do quartel até o front de batalha sem que ele estragasse.

A solução encontrada foi mudar o ”ph” do produto, já que em índices mais baixos (ácido) o leite se conservaria por mais tempo. As vantagens obtidas foram: maior tempo de conservação do produto, o leite tornou-se mais energético e o custo do produto permaneceu baixo.

Estava inventado, acidentalmente, o leite condensado. O produto não havia sido patenteado.

Produção e Comercialização

Só depois surge a primeira indústria criada especialmente para a produção comercial do leite condensado. A ”Anglo-Swiss Condensed Milk” (1866), que acabou gerando o nome do gênero do produto.

Então em 1873 a Nestlé (Suíça) adquiri a ”Anglo-Swiss” e passa a produzir e comercializar o Leite Condensado em todo o mundo.


Primeira Fábrica Nestlé no Brasil (1921 Araras-SP)

1o. Produto: Leite Condensado Moça.

Durante cerca de 50 anos a Nestlé não teve concorrência para o ”Leite Condensado Moça” no Brasil.

Mudança do ”Market Share” no Brasil já na década de 80 do leite condensado:

Nestlé - 60% do mercado
Mococa - 25% do mercado
Glória - 15% do mercado

Estratégias da Nestlé

A primeira reação estratégica da Nestlé foi o lançamento do leite condensado em sabores. Sabor chocolate e café (1980) que foi um fracasso devido à inversão do conceito de uso alternativo praticado pelo consumidor. Pois comprando o Leite Condensado Tradicional o consumidor poderia adicionar sabores ou não, assim teria mais opção.

A segunda reação estratégica da Nestlé foi a embalagem alternativa Bisnaga em 1985. Com esse produto não seria mais necessário abridor, colher e teria apenas uma tampa. O problema foi que o consumidor caracterizou o produto apenas por ”modismo”. Semelhante a outros produtos, o desuso sempre chega logo.

Foi feita então uma pesquisa pela Nestlé para saber as principais formas de consumo do Leite Condensado. E tiveram como resultado: adoçante (substituindo o açúcar); em ”natura” (bebido como leite condensado); em ”batidas” (para adocicar e dar cremosidade em bebidas); em salada de frutas (substituindo o chantilly) ou como matéria-prima para a produção de doces,coberturas e recheios (principal aplicação).

A terceira reação estratégica da Nestlé que foi o lançamento da linha ”Moça Fiesta” em Agosto/1988, como alternativa para o consumo de produtos acabados (doces caseiros e coberturas/recheios) que utilizam o leite condensado como matéria-prima. Foi um sucesso.

Essa terceira estratégia além de ter sido um sucesso por ser um produto novo no mercado, facilitar a vida das pessoas com receitas no verso e mesclar produtos da própria Nestlé; alavancou os lucros da empresa devido ao auto-fornecimento (Nestlé passa a ser fornecedora de si mesma para outra linha de produtos dela própria). Chamado de Mercados Complementares, na medida em que crescem as vendas de ”Moça Fiesta”, se verifica também um crescimento das ”vendas” (indireta) do leite Moça.

Milkmaid - O Leite da Moça

A história do leite condensado começou em 1867 quando o americano George H. Page, proprietário da empresa Anglo Swiss Condensed Milk iniciou na cidade de Cham na Suíça, a fabricação de leite condensado, utilizando o leite abundante e de boa qualidade produzido no país. A Sociedade Nestlé, por sua vez, iniciou a fabricação de leite condensado logo a seguir. Essa concorrência entre as duas empresas terminaria em 1905, numa fusão que deu origem a Nestlé e a Anglo Swiss Condensed Milk Co. A jovem com trajes típicos que aparecia nos rótulos das embalagems era uma camponesa suíça do século XIX. Naquela época, o leite condensado mais popular da Suíça tinha a marca La Laitière, que significa “vendedora de leite”. Quando esse leite foi exportado para outros países, procurou-se um nome equivalente na língua de cada região para onde o produto foi levado, nome sempre associado à figura da camponesa típica com os baldes de leite. Em espanhol, por exemplo, foi adotada a marca La Lechera. Os primeiros carregamentos de leite condensado chegaram ao Brasil em 1890 e era uma alternativa ao leite fresco, cujo abastecimento era problemático. O produto da The Nestlé and Anglo Swiss Condensed Milk Company era vendido nas drogarias e, inicialmente, seu nome era Milkmaid. Mas as pessoas tinham dificuldade para pronunciar esse nome e passaram a chamar o produto de o “leite da moça”, referindo-se à ilustração da camponesa. A princípio utilizado como bebida (reconstituído com água), o leite condensado podia ser armazenado por muito tempo, o que era importante em períodos de escassez.

Quando a Nestlé abriu sua primeira fábrica no país, em 1921, na cidade de Araras, em São Paulo, e começou a produzir o produto, optou pelo nome criado espontaneamente, Leite Moça. Somente durante a Segunda Guerra Mundial donas de casa passaram a utilizá-lo em doces e sobremesas. Em 1955, o rótulo de Leite Moça, em sua parte traseira, passou a indicar o produto para uso culinário ou doméstico na preparação de diversos pratos. No ano de 1962, o rótulo do produto trazia suas primeiras receitas: Pudim e Doce de leite. Em 2001 ocorreu o lançamento do Leite Moça Desnatado. Três anos mais tarde, pela primeira vez em sua história, a lata do produto foi modificada, ganhando um visual moderno e cheio de curvas. Antes víamos a figura de uma moça comportada, até meio apagada. Hoje a coisa mudou totalmente: a senhorita ganhou traços mais definidos e, por que não dizer, uma certa sensualidade.


Você Sabia?

* O Leite Moça é uma das marcas mais queridas e apreciadas pelos consumidores de todo Brasil. Presente na maioria dos lares, o produto virou sinônimo de categoria e sua marca tornou-se uma das mais fortes entre os produtos alimentícios no Brasil. É a marca que mais investe em marketing e comunicação na categoria de leite condensado, sendo também o que mais inova e difunde os diversos e deliciosos usos do produto.

Posted in História do Leite Condensado, Leite Condensado | No Comments »

out
15
Waffle com leite condensado




Ingredientes:
- 1 xícara de chá de farinha de trigo
- 1 colher de chá de fermento em pó
- 1/2 colher de chá de sal
- 1 colher de sopa de manteiga derretida
- 1 colher de chá de açúcar
- 1 xícara de chá de leite
- 1 gema
- 1 clara

Modo de Preparo:

1. Peneire todos os ingredientes secos.
2. Acrescente a gema, o leite, a manteiga derretida aos ingredientes secos e misture-os bem. Junte a clara batida em neve, incorporando delicadamente.
3. Despeje aproximadamente 1/2 xícara de chá de massa na forma de waffle quente.
4. A luz do indicador deverá estar apagada, quando a massa for colocada a luz acenderá. Quando a luz apagar novamente, o waffle está pronto. Sirva em seguida.

Dica:

Regue com leite condensado, ele ficará mais macio.

Posted in Doces, História do Leite Condensado, Leite Condensado, Receitas, Waffle | No Comments »